domingo, 6 de fevereiro de 2011

Antigamente

Antigamente


Carlos Drummond de Andrade
100 anos: 1902-2002



ANTIGAMENTE, as moças chamavam-se mademoiselles e eram todas mimosas e muito prendadas. Não faziam anos: completavam primaveras, em geral dezoito. Os janotas, mesmo não sendo rapagões, faziam-lhes pé-de-alferes, arrastando a asa, mas ficavam longos meses debaixo do balaio. E se levavam tábua, o remédio era tirar o cavalo da chuva e ir pregar em outra freguesia. As pessoas, quando corriam, antigamente, era para tirar o pai da forca e não caíam de cavalo magro. Algumas jogavam verde para colher maduro, e sabiam com quantos paus se faz uma canoa. O que não impedia que, nesse entrementes, esse ou aquele embarcasse em canoa furada. Encontravam alguém que lhes passasse a manta e azulava, dando às de vila-diogo. Os mais idosos, depois da janta, faziam o quilo, saindo para tomar fresca; e também tomavam cautela de não apanhar sereno. Os mais jovens, esses iam ao animatógrafo, e mais tarde ao cinematógrafo, chupando balas de altéia. Ou sonhavam em andar de aeroplano; os quais, de pouco siso, se metiam em camisa de onze varas, e até em calças pardas; não admira que dessem com os burros n’água.

HAVIA OS QUE tomaram chá em criança, e, ao visitarem família da maior consideração, sabiam cuspir dentro da escarradeira. Se mandavam seus respeitos a alguém, o portador garantia-lhes: “Farei presente.” Outros, ao cruzarem com um sacerdote, tiravam o chapéu, exclamando: “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”, ao que o Reverendíssimo correspondia: “Para sempre seja louvado.” E os eruditos, se alguém espirrava — sinal de defluxo — eram impelidos a exortar: “Dominus tecum”. Embora sem saber da missa a metade, os presunçosos queriam ensinar padre-nosso ao vigário, e com isso metiam a mão em cumbuca. Era natural que com eles se perdesse a tramontana. A pessoa cheia de melindres ficava sentida com a desfeita que lhe faziam, quando, por exemplo, insinuavam que seu filho era artioso. Verdade seja que às vezes os meninos eram mesmo encapetados; chegavam a pitar escondido, atrás da igreja. As meninas, não: verdadeiros cromos, umas tetéias.

ANTIGAMENTE, certos tipos faziam negócios e ficavam a ver navios; outros eram pegados com a boca na botija, contavam tudo tintim por tintim e iam comer o pão que o diabo amassou, lá onde Judas perdeu as botas. Uns raros amarravam cachorro com lingüiça. E alguns ouviam cantar o galo, mas não sabiam onde. As famílias faziam sortimento na venda, tinham conta no carniceiro e arrematavam qualquer quitanda que passasse à porta, desde que o moleque do tabuleiro, quase sempre um cabrito, não tivesse catinga. Acolhiam com satisfação a visita do cometa, que, andando por ceca e meca, trazia novidades de baixo, ou seja, da Corte do Rio de Janeiro. Ele vinha dar dois dedos de prosa e deixar de presente ao dono da casa um canivete roscofe. As donzelas punham carmim e chegavam à sacada para vê-lo apear do macho faceiro. Infelizmente, alguns eram mais do que velhacos: eram grandessíssimos tratantes.

ACONTECIA o indivíduo apanhar constipação; ficando perrengue, mandava o próprio chamar o doutor e, depois, ir à botica para aviar a receita, de cápsulas ou pílulas fedorentas. Doença nefasta era a phtysica, feia era o gálico. Antigamente, os sobrados tinham assombrações, os meninos lombrigas, asthma os gatos, os homens portavam ceroulas, botinas e capa-de-goma, a casimira tinha de ser superior e mesmo X.P.T.O. London, não havia fotógrafos, mas retratistas, e os cristãos não morriam: descansavam.

MAS TUDO ISSO era antigamente, isto é, outrora.

40 comentários:

Daniel disse...

Esse texto, Mostra muitas "girias" de antigamente. Como perregue,aeroplano,cinematografo,calças pardas, camisa de onze varas,pé-de-alferes,etc,etc,etc...
Algumas dessas "girias", ouvi em Historias que meus pais me contaram.
Hoje nao se usa muitas dessas girias citadas no texto,praticamente nunhuma. Esse texto trás muitas coisas de "ANTIGAMENTE".
Umas girias que esta citadas no texto foi modificada.
"Queria enssinar o padre-nosso
ao vigário".Essa hoje em dia esta assim : "Vai querer enssinar o padre a resar missa".
tbm "de boca na butija"
hoje em dia esta assim: "Peguei você no flagra".
tbm "ficar a ver navios" hj esta assim : "Ta durmindo".
Essas minhas cingelas palavras foi do que eu entendi do texto.
Tchau : Falo ^^
Obrigado
Por: Daniel Henrique

André Pigozzo disse...

Antigamente, o que podemos dizer sobre antigamente é que todas as coisas eram diferentes, o modo das pessoas agirem, das pessoas falarem e o comportamento era totalmente diferente.
Como li no texto "Antigamente" naquela época o modo como eles se referiam as pessoas de um modo completamente diferente, poucas "gírias" que eles usavam antigamente é usado no nosso dia-a-dia. Algum exemplo que usamos hoje ainda é a gíria do estar ensinando o "padre-nosso ao vigário" mais na verdade com umas pequenas mudanças mais com o mesmo sentido.
Em resumo de tudo é que os mesmos hábitos que tinham antigamente é usado ainda hoje em nosso cotidiano mas com algumas alterações feitas ao decorrer dos anos!

Tchau e obrigado!

Bruno Kiyoto disse...

Eu acho pelo que eu li no texto que antigamente quase todas as coisas era diferente de como é hoje, a linguagem característica de um grupo profissional ou sociocultural mais conhecida como gíria principalmente, para mim mudou muito de antigamente para hoje, vejo isso quando falo com meus avós, vejo que eles falam de um modo mais formal e as vezes até fica difícil de se comunicar com eles.
Não só no modo de falar mais também no modo de se vestir, de agir, de educar, etc.
Antigamente meu avô me disse que acho muito estranho as gírias de hoje e me disse que era raro ouvir palavrões na boca das crianças e hoje isso é comum na televisão e nas bocas de pessoas ''mal educadas'' que são influenciadas por ela.
Foi isso o que eu entendi desse texto que fala de antigamente.

Bruno kiyoto

naat ♥ disse...

Eu entendi que nos tempos passados as coisas eram muito diferentes das coisas de hoje como, por exemplo, as mulheres que ficavam em casa fazendo as tarefas domésticas, e também o vocabulário como esperado era também diferente do nosso dia a dia, as gírias também por exemplo antes falava –se broto e hoje em dia se vc falar assim você vai ser motivo de piada, mas é assim os tempos mudam as coisas evoluem e o português também (ainda bem).

Natália Freitas

fernanda disse...

No texto fala sobre as "gírias" de antigamente.Antigamente as pessoas
usavam essas gírias para expressar-se de uma forma ou outra,mas com o passar do tempo tudo mudou ,mas também alguns velhos ainda optam em dizer essas "gírias".
Não só as expressões mas também, o jeito de viver antigamente.
Mulheres antigamente, o seu lugar era apenas ficar em casa e fazer os deveres,e os homens é quem saiam para trabalhar etc.
Bem diferente de hoje em dia.


Fernanda Brum Carlin

Cauana disse...

Antigamente tudo era muito diferente de hoje em dia, desde o modo de vida das pessoas ao modo como falavam. os adolescentes não eram tratados como são hoje, antigamente tudo era mais rígido, em certos aspectos. mas muitas as coisas evoluíram muito desde então. como exemplo as mulheres, antigamente elas não estudavam, não completavam anos, eram tratadas com o devido respeito, gostavam muito de ir à sacada para "paquerar" e outros.
Com esse texto podemos observar como era o cotidiano de trabalho dos adultos e a vida das crianças, e podemos observar que as crianças eram punidas pelas coisas que faziam, os meninos principalmente eram muito bagunceiros, mas muitas vezes não conseguiam escapar das suas artes e tinham que contar tudo, e eram punidos, "com o pão que o diabo amassou"
Bem, é isso.
hoje nossas girias muito utilizadas são: mano, mew, podecrê e etc.

Cauãna Elerbrock

Camila disse...

Eu entendi que nesse texto nos mostra muitas palavras e gírias desconhecidas que não são usadas como era antes e usava palavras estrangeiras porque influêciava muito os portugueses. Essas palavras eram mais conhecidas e utilizadas pelos nossos ancestrais que até hoje alguns deles ainda falam. O texto também mostra muitas coisas que eram diferentes e agora mudaram completamente, por exemplo os hábitos das moças, elas tinham que ser prendadas para poderem arranjar um marido, os idosos com hábitos de dormirem depois do almoço que ainda é um hábito na maioria deles , os meninos eram arteiros e apanhavam por estarem errados. Antigamente eles tinham um educação muito diferente, eles não tinham tantos limites como temos hoje.

Camila Salem

eduardo disse...

Esse texto mostra muitas gírias que foram usadas antigamente.
Hoje é muito dificil ouvir este tipo de linguagem, ás vezes meus avós e pais usam algum tipo de delas , mas mesmo assim hoje é muito raro os jovens falarem. Atualmente nos usamos muitas colocaçoes em cima dessas gírias de antigamente como exemplo:

Carango: carro

E é isso que entendi do texo

Eduardo Benez

jeh-leitinho disse...

Esse texto,mostra que antigamente os homens eram muito mais cavalheiros e as moças mais recatadas "diferentemente de hoje".
Também cita algumas "girias" como:"tirar o cavalo da chuva", "jogar verde pra colher maduro", "sabiam com quantos paus faziam uma canoa","dar com os burros n'agua" entre outros.

Amanda disse...

Ao ler este texto tive duas impressões, a primeira foi com as palavras, o modo como as pessoas se expressavam antigamente e a segunda foi com o comportamento, a maneira que viviam, a cultura da época. Hoje em dia as coisas são diferentes, tanto no modo de se expressar verbalmente quanto na maneira de viver. Temos outras gírias, pois tudo muda e isso sempre ocorrerá. Hoje (século XXI) as pessoas estão cada vez mais apressadas, então não se importam se as coisas vão valer realmente a pena, só querem curtir. E muitas vezes acabam se frustrando. Os sonhos dos jovens é sair de casa, ir morar sozinhos, viajar para fora do país, tudo muito diferente dos costumes de outrora.

Deixo aqui mais uma expressão (gíria) antiga:

*Patota (turma, galera).

Amanda Fogaça

Gustavo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camilla Mansano disse...

Com o passar dos anos tudo em nosso meio se modifica, e a nossa linguagem nao fica para atraz. Sempre estamos nos adaptando a essas mudancas e nem percebemos o quao diferente esta o modo de nos comunicarmos em relacao ao de antigamente. Este texto retrata exatamente o dia-a-dia dos que tem mais idade, retrata as palavras e maneiras de falar que ja foram usadas, porem, muitas delas ja nao fazem mais parte do nosso vocabulario, o que pode gerar muita dificuldade as pessoas mais jovens ao intepretar um texto escrito ha algum tempo. Por isso devemos procurar conhecer e entender a forma como se comunicavam antigamente para conseguirmos ficar sempre atualizados.
Contudo o texto nao traz todas as expressoes da epoca, ainda temos muitas como: empinar a carroca, ficar lele da cuca…

Camilla Mansano

- Luana disse...

O texto diz que antigamente as moças e os moços eram mais sofisticados, eles respeitavam mais e elas se davam mais valor.
Possui muitas gírias antigas como ja foram citadas, tratamentos e atitudes das pessoas, dia a dia das crianças, tbm nos mostra que algumas coisas de "Antigamente" ainda são usadas hoje sem nós percebermos.

Krissyan Luana.

sandra disse...

Os tempos antigos foram, realmente, muito bons e vale a pena relembrá-los sempre, principalmente a linguagem utilizada no período citado. Quanta "formosura" na construção das palavras. Mas, que bom que hoje, temos este recurso tecnológico para apreciarmos os texto de antigamente. Parabéns à professora pela iniciativa. Parabéns aos alunos. Continuem lendo e escrevendo muito. Este é o caminho para o sucesso intelectual.

Gabi Cabral disse...

O texto fala sobre o passado, diz como realmente era a vida a umas décadas atrás. Antigamente as pessoas usavam muitas palavras francesas, o que hoje já ocorre com o inglês. Antes as meninas eram mais prendadas, aprendiam a fazer as coisas para que quando se casassem não ficassem dependendo de seus maridos, hoje isso já não ocorre porque muitas meninas teem as empregadas domésticas em casa, e pensam em ter uma quando se casar. Hoje os adolescentes já não teem tanto respeito com seus pais e avós como tinham antes, e sobre as gírias as de hoje em dia são diferentes das de antigamente hoje usamos, ‘cê’ ao invés de você, ‘a gente’ ao invés de nós. É isso.

Gabriela Cabral

bia disse...

Ao ler este texto percebi que ele é muito objetivo, pois ele vai direto ao ponto, como diz logo no titulo “Antigamente” percebemos de cara a diferença no vocabulário e nas atitudes que as pessoas tinham. Se comparar uma pessoa dos anos 70 ou 80 haveria muita diferença, porque não tinha, por exemplo, tanta tecnologia que temos hoje, as pessoas não se comporta como antigamente. Algumas das expressões usadas no “passado” ainda fazem parte do nosso dia á dia, como cão chupando manga, deixar quieto e etc. Porem nossos avós usam expressões ou palavras que nem imaginamos o que significa por exemplo fumar uma kenga (ficar nevorso), baixa da égua (lugar longe), como muitas de outras ditas. Então percebo que, hoje o que é normal para nós como nossas gírias daqui a 4 anos ou mais, vai se tratado como algo passada.
Por: Beatriz dos Santos

Laura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laura disse...

O texto "Antigamete" de Carlos Drummond de Andrade, desperta no leitor uma grande sensação de nostalgia!
Drummond descreve,através do "dialeto" usado antigamente,não apenas o cotidiano da época, mas tambem as pessoas da sociedade,
seus hábitos e crenças.
Drummond conta como eram e como funcionavam as coisas,o que faz do texto uma ótima maneira de "conhecer" uma sociedade de cem anos atrás!

Apesar do tempo decorrido,nossos pais e avós eventualmente ultilizam de algumas expressões da época em que eles eram jovens. Minha avó costuma dizer que quando alguem acorda estressado e com "a pá virada" essa pessoa acordou com a "Avó atras do toco!" rsrs.
Laura Lorenzini.

Akio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bianca disse...

Eu achei impressionante como as expressões utilizadas no texto variam atualmente. Algumas nem são entendidas, mas outras continuam em uso intenso pelas pessoas mais velhas e por alguns jovens, como: jogar verde para colher maduro, tirar o cavalo da chuva, comer o pão que o diabo amassou.
O texto nos aproxima do que era falado antigamente e que possivelmente se transformaram em algo novo.
Não foram só as gírias que sofreram mudanças, o modo de vida também. Antigamente as pessoas reservavam mais os seus princípios, as mulheres era prendadas, hoje são poucas as que sabem cuidar da casa.
Meu avô usava bastante a expressão: está pensando que berimbau é gaita? Que é a mesma coisa de dizer: ficou louco?

Bianca Gracioso

vinicius disse...

O texto Antigamente mostra muitas expressões do arco da velha que para alguns é fichinha de entender, porém para outros é fogo, isso ocorre por que algumas convivem com alguma influencia dos tempos antigo convivendo assim com as gírias antigas entendendo-as sem dificuldade alguma.
Um exemplo clássico de como não só as gírias, mas como toda a sociedade em si mudou é a maneira de viver das mulheres, que antigamente para se casarem deveriam ser prendadas e respeitarem seus futuros maridos, já hoje em dia essas mulheres não ‘precisam’ ser prendadas e muito menos educadas, pois casam-se a todo momento e traem seus maridos muitas vezes sem serem punidas por tal ato, não existindo mais o respeito pelo próprio parceiro.

Vinicius Gabriel.

flavia disse...

Lendo o texto de Carlos Drummond de Andrade tive a impressão de fazer parte,por alguns minutos,daquele cotidiano e sentir como é importante para nós desse mundo contemporâneo,a leitura de textos antigos,pois assim percebemos as diferenças linguísticas e comportamentais entre as gerações.Podemos perceber nitidamente como as expressões e girias mudam ao longo do tempo.Antigamente usavam expressões como:supimpa(tranquilo),chorumelas(bobeira),fulano é um pão(garoto bonito)...
Atualmente usamos expressões como:Bombar(reprovar de ano),estou numa fria(problema)...
Relembrando as culturas antigas podemos refletir sobre nossa linguagem atual e buscar enriquecê-la.

Flávia Fortuce

yudi disse...

Antigatigamente as coisas eram bem diferentes de hoje.As girias tais elas:mademoiselles,janotas,prendadas, pé-de-alferes, arrastando a asa, quilo,animatógrafo,cinematógrafo, aeroplano, siso, calças pardas, camisa de onze varas,e outras mais.
O jeito de se vestir mudou muito tambem, antigamente as pessoas nao tinha muita frescura de usar roupa cara, mas hoje nao todas as pessoas mas maioria tem que usar roupas caras e se a roupa tiver um furo apenas a pessoa ja refuga(jogar fora)ela.
As brincadeias mudaram muito no passado as crianças se divertiam mais e eram masi criativas porque elas mesmas tinha que fazer seus proprios brinquedos. Mas as crianças de hoje tudo do bom e do melhor e tudo o que elas querem.
Cmo antigamente eram poucos q tinham tv, computador, e telefone
elas se encontavam mais, por nao terem um meio de comunicação.
Então eu concluo que ao decorrer dos anos que nos vamos ficando mais velhos os tempos vão mudando e so vai ficando as lembraçasm portando temos que aproveitar muito s as coisas que temos e aprender a dar valor a elas.
Yudi Santi Hakamada

Matheus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lucas disse...

Se o Carlinhos escreveu esse texto falando da antiguidade da epóca dele, então essas coisas devem ter acontecido IX A.C, antes mesmo do fogo [/Ironia]. As coisas mudaram de um tempo pra cá, a valorização da mulher, a exclusão do sexismo, e muito mais... o mesmo ocorreu com nossa linguagem, as girias de antigamente foram substituídas por palavras mais fáceis de mesmo significado. Por exemplo: Enxuto (seco).
E dá pra ver o porque, por que íriamos usar palavras e expressões que hoje em dia ninguém entende?

Nota: Pesquisei sobre Carlos Drummond de Andre, e sei que ele não é tão velho, não vá descontar minha nota em, feçora.

Pedro Yokoro

Leticia Dias Macedo disse...

O texto Antigamente, demonstra como moças e moços, pais eram no passado...
Hoje em dia muita coisa mudou,os moços nao tem mais respeito nas moças e as moças deixam td, creio q as coisas nao sao bem assim, pois moças pegando tds tem q se reservar sim e os moços nao sair por aee pegando tds tbm, pois chega o casamento ninguem vai qrer ambos os lados..
em questao das girias tds oslugares e tempos tm, mais sao mt estranhas..
Mais gostei mt do texto pois assim vemos girias diferentes e costumes diferentes..
Creio q eh isso..
Beeijinhos, ate a proximaa
:)

Leticia Dias Macedo disse...

O texto Antigamente, demonstra como moças e moços, pais eram no passado...
Hoje em dia muita coisa mudou,os moços nao tem mais respeito nas moças e as moças deixam td, creio q as coisas nao sao bem assim, pois moças pegando tds tem q se reservar sim e os moços nao sair por aee pegando tds tbm, pois chega o casamento ninguem vai qrer ambos os lados..
em questao das girias tds oslugares e tempos tm, mais sao mt estranhas..
Mais gostei mt do texto pois assim vemos girias diferentes e costumes diferentes..
Creio q eh isso..
Beeijinhos, ate a proximaa
:)
Leticia Dias Macedo

Gustavo disse...

No texto nos dá uma idéia de como era antigamente e atualmente já não é mais ou foi adaptado. Por exemplo: as gírias, hoje em dia é muito difícil ver alguém falando "caranga", "boa pinta", "de lascar", que são exemplos de gírias antigas. Antigamente ninguém ficava até tarde na rua, se as mulheres tivessem relação sexual antes do casamento ficava mal falada, as pessoas reservavam mais os seus princípios, as mulheres tinham que ser “prendadas” para casar, as crianças faziam os seus próprios brinquedos, soltavam pipas, brincavam de bolinhas de gude, os pais queriam ver as crianças trabalharem para ajudar a sustentar a família, o estuda ficava em segundo plano e etc. Como pode ver, hoje em dia é diferente de antigamente, mas em alguns casos continuam a mesma coisa.

Gustavo Shinji Urano

Rafaela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafaela disse...

Antigamente as pessoas também tinham uma maneira de se expressar,usavam palavras que são pouco conhecidas para nós hoje.
Algumas expressões usadas antigamente ainda são usadas por algumas pessoas "Ficar à ver navios" "tintim por tintim" "Onde Judas perdeu as botas" etc, mais todas adaptadas de acordo com o tempo em que estamos vivendo.
A escrita evolui muito, Ex: "Os mais jovens, esses iam ao animatógrafo, e mais tarde ao cinematógrafo".A escrita já se alterou no próprio texto, a palavra animatógrafo que hoje é conhecida por cinema.
Com o tempo tudo muda, evolui, algumas gírias usadas por nós hoje no futuro vão ser motivo de "piada" para os adolescentes da época, como foi as do texto para nós adolescentes.

(Rafaela Vidoto)

bruna disse...

Esse texto fala sobre como as pessoas falavam e agiam antigamente q é bem diferente de como é hoje as pessoas eram mais educadas e as falas eram bem diferentes, quase todas as gírias hoje já não se fala ex: burros n’água hoje é quebravam a cara e muitos outros.

Por: Bruna Pizato

bruna disse...

Esse texto fala sobre como as pessoas falavam e agiam antigamente q é bem diferente de como é hoje as pessoas eram mais educadas e as falas eram bem diferentes, quase todas as gírias hoje já não se fala ex: burros n’água hoje é quebravam a cara e muitos outros.

Por: Bruna Pizato

andré disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andré disse...

Esse texto fala como era a vida das pessoas antigamente, o que elas faziam, o modo de vida. As mulheres viviam dentro de casa, as crianças que faziam seus brinquedos, os pais faziam as crianças trabalharem e os estudos ficava em segundo plano. E também tem muitas gírias que hoje em dia não se usam mais. São poucas pessoas que falam essas gírias, normalmente quem fala são os mais velhos.

(André Tadano)

Akio disse...

Esse texto mostra as diferencias dos vocabularios da sua época e o atual.Além disso,mostra a diferencia educacional,na qual as mulheres além de só poderem ter relaçoes sexuais depois do casamento, ficavam apenas em casa,enquanto seus maridos trabalhavam.
A tendencia é das coisas sempre mudarem.A educaçao que temos hoje com a nossa família será diferente no futuro.

Erik Akio Kogawa

bruno disse...

O texto diz sobre o passado, fala como era realmente o passado . Antigamente as pessoas usavam muitas palavras européias por exemplo o francês, como hoje é o Inglês. Antes as meninas eram mais responsáveis, em termos de trabalho elas eram prendadas, aprendiam a fazer coisas que se precisava quando casadas , hoje isso já não ocorre com todas porque muitas meninas podem usufruir de suas funcionarias domésticas , e quando casar certamente vai ter uma . Hoje os adolescentes já não são como antes, eles já não tem tanto respeito com seus pais e familiares como tinham antes, e as gírias as de hoje em dia são diferentes das de antigamente hoje usamos, ''cê'' ao invés de você, usamos mais palavras em inglês ao invés do Frances como é citado no texto.

Bruno Lukenczuk Antonio

Tácila disse...

O texto tenta nos passar a linguagem de antigamente. Naquela epoca as pessoas usavam muitos ditados tipicos da epoca so que hoje no nosso dia-a-dia esses ditados mudaram.
Só que é maravilhoso você ler esses textos de antigamente e ver como era tudo naquela epoca.
As meninas e os meninos da epoca eram bem mais recatados,quieto,se preservavam mais.Hoje os adolecentes não pensam mais o que querem,eles so pensam em se divertir mesmo aproveita cada segundo como se o hoje fosse acabar.Mesmo passando anos e anos usamos os velhos ditados.
Hoje usamos uma linguagem bem formal pois tudo que falamos pode se tornar uma piada.
Mais gostei muito desse texto,faiz agente relembra do passado.
Um velho ditado "A esperança… E a sogra são as últimas que morrem"

Guilherme disse...

No texto "Antigamente", o autor fala de como que era o cotidiano da época e cita também algumas expressões do passado mostrando que as coisas não eram tão banalizadas como hoje em dia. O homem era o trabalhava fora de casa, a mulher trabalhava apenas nas coisas da casa. As roupas também eram muito diferentes, os homens quando iam sair já colocavam um terno e um sapato e as mulheres usavam longos vestidos até os tornozelos e espartilhos.
Enfim, as pessoas eram muito mais conservadoras e "certinhas" e tinham várias regras para seguir já atualmente...

Guilherme Lucena Jacomeli

Camila Paimel disse...

Com o texto evidencia-se a mudança de hábitos ocorrida em relação à sociedade atual, provocadas principalmente pelo avanço tecnológico. Um exemplo é a liberdade e autonomia adquiridas pelas mulheres, saindo debaixo dos pés de seus maridos e tendo mesmo valor profissional que eles.O valor às coisas singelas também foi perdido, cedendo lugar aos desejos opulentos. A linguagem sobretudo a linguagem fonética foi bastante simplificada e expressões mais pobres e vulgares surgiram.
Camila Paimel